Simulação consórcio: 3 Formas de simular consórcio

Você sabia que é possível realizar uma simulação consórcio antes de solicitar crédito para a compra de um produto ou serviço?

Este benefício é oferecido por diferentes tipos de empresas em suas unidades ou pela internet.

Por meio de uma simulação consórcio, você saberá se o orçamento das pessoas que estão no consórcio dará para pagar as prestações da compra desejada. Ou seja, os sócios não terão nenhuma surpresa desagradável depois de fechar o negócio.

É realizada uma análise do perfil financeiro do contratante para a identificação das melhores ofertas e possibilidades para a concretização da compra.

Neste texto você conhecerá três maneiras práticas para simulação consórcio.

Vamos lá para as opções que existem no mercado

Empresas administradoras – Existem empresas que têm autorização para atuar no ramo de consórcio. Uma dica é acessar o site do Banco Central do Brasil que tem uma lista de empresas registradas e confiáveis. O BCB é responsável por fiscalizar o sistema de consórcio no Brasil. Além de oferecer planos de aquisição de bens e serviços diversos, estas empresas realizam simulação consórcio nas suas unidades físicas e por meio de plataformas na internet.

Bancos – Os bancos disponibilizam a simulação de consórcio para imóveis, veículos e produtos. Este benefício pode ser feito por correntistas ou não. A ação também pode ser feita presencialmente ou online. Sua atuação é semelhante às empresas administradoras. Vale a pena conferir os planos das grandes agências bancárias que atuam no país.

Concessionárias – As principais empresas especializadas em automóveis disponibilizam a modalidade de consórcio. A simulação pode ser feita em uma loja física ou pela internet. Geralmente, isto é feito de maneira muito simples. O cliente escolhe um modelo (carro ou moto) e a empresa simula como seria o número e o valor das parcelas do consórcio.

Anotou as dicas para realizar uma simulação consórcio? Agora é só colocar em prática para a realização dos seus sonhos de consumo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *